Publicado em Deixe um comentário

Marisa Catita lê O Olho e o Espírito

 

“É um livro sobre o olhar, o ver, o inexplicável. Quando olhamos para uma coisa há o nosso olhar e todo o caminho que vai do nosso olho até ao objecto e o que é verdadeiro não é o objecto em si, mas a visão que temos dele.”

«Quando vejo, através da espessura da água, o quadriculado do fundo da piscina, eu não o vejo apesar da água, dos reflexos, vejo-o, justamente, através deles, por eles. Se não existissem estas distorções, estas listas de sol, se eu visse, sem esta carne, a geometria do quadriculado, aí, sim, deixaria de o ver, tal como é, onde é, a saber: mais distante do que qualquer lugar idêntico. Sobre a própria água, a potência aquosa, o elemento xaroposo e reverberante, não posso dizer que ela esteja no espaço: não está noutro lugar, mas não está na piscina. Ela habita-a, materializa-se aí, ela não está aí contida, e, se eu levantar os olhos para a cortina dos ciprestes, onde brinca o feixe dos reflexos, não posso negar que a água também a visita, ou, pelo menos, que lhe envia a sua essência, activa e viva.»

Marisa Catita está a ler o livro O Olho e Espírito de Merleau-Ponty, editado pela Vega.

Pode comprar o livro aqui: https://www.flaneur.pt/produto/o-olho-e-o-espirito/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.