Iluminuras

10.00 

de Théodore Fraenckel

Edição ou reimpressão: 07-2018

Editor: Douda Correria

Idioma: Português

Descrição

Théodore Fraenckel, segundo julgamos saber, nasceu em 1900 e faleceu a 3 de Julho de 1950.

Durante a maior parte da vida exerceu o cargo de professor de Português em Bruxelas. Personagem obscura, a sua obra encontra-se sobretudo dispersa por jornais e revistas. Em vida publicou apenas um livro: La Géante (Lipstick Traces, Bruxelas, 1950). De si próprio, nas conversas de taberna das noites de Bruxelas, ao som dos discos de Fréhel ou de Johnnie Ray, dizia ser um “imagista surrealista perturbado pela leitura dos clássicos” – ou coisas como: “Estou vivo, ao que dizem – embora alguns, depois de me lerem, tenham dúvidas”. Alguns dos seus poemas foram publicados, não se sabe bem por quem nem porquê, no número único da revista O Lírio Quebrado (Porto, sem data) ou mais recentemente no nº5 da Bumerangue (Guimarães, 1993). A sua obra, em prosa e em verso, permanece (e deverá permanecer) inédita.

Na capa deste volume utilizou-se uma fotografia de Ângelo Negro, no verso da qual se podia ler a inscrição a lápis: algures em Itália, anos 80.

Avaliações

Não existem opiniões ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Iluminuras”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.