Jardim de Outono

16.00 

de Dulce María Loynaz
Editora: Flâneur
Tradução: Manuel Alberto Vieira
Edição: Abril 2020

Descrição

“As folhas secas…, voam ou caem? Ou haverá em todo o voo
uma terra à espera, e em toda a queda um tremor de asa?”

“A presente antologia, que integra a quase totalidade de Poemas sin nombre (1953) e parte de Melancolía de otoño (1997), compila produção bastante para que da obra da poeta cubana Dulce María Loynaz se construa uma noção razoavelmente inteira, sobretudo por quanto de temporal a edição define. A baliza aqui colocada fixa duas súmulas produtivas fundamentais — a do princípio e a do fim do trajecto poético — que permitem, se não mais, intuir essa outra súmula maior que, não estando fisicamente presente, ganha corpo nos nexos e derivações que urdamos no
caminho intermédio que cruza a ponte.

Tal critério, não estando isento de disputa, parece servir melhor o propósito antológico, pois em Loynaz os textos iniciais e finais são, num certo sentido, mútuos. Numa perspectiva que tem tanto de amplo quanto de restrito, se à superfície dos segundos assoma uma febre sanguínea que a mão amansa, à dos primeiros aflora uma mão sanguínea que aspira ao entendimento da febre. E é nessa reciprocidade da temperatura e do sangue, calibrados pelos planos de maturação da voz poética, que radica a lógica a que a opção editorial aspira.”

(Manuel Alberto Vieira no Prefácio à obra)

O livro encontra-se em pré-venda com desconto de 10%, quando chegar da gráfica poderá levantá-lo na livraria ou recebê-lo na sua morada.

Informação adicional

Peso 0.100 kg

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Jardim de Outono”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Também pode gostar…