Levedura

14.00 

de João Rasteiro,

Páginas : 120 págs.
Formato : 140 x 190 mm
A imagem da capa é de Pere Salinas (‘De la serie “… per un vers teu” ‘)
O volume inclui ainda uma secção Marginália, com excertos de textos de crítica de José Manuel de Vasconcelos, Rita Taborda Duarte, Maria Irene Ramalho e Fernando Guimarães

Descrição

Neste novo livro, João Rasteiro oferece-nos uma trilogia da perfeição, que o poeta, em subtítulo a “Levedura”, designa “… do Silêncio”.

A “Uma Casa Difícil de Habitar”, novo livro aqui dado a público — que constitui, a um tempo, eixo, núcleo e pináculo do conjunto —, o autor reúne “acrónimo” (2015) e “A Rose is a Rose is a Rose er Coetera” (2017). A ambos, aqui objecto de significativo trabalho de revisão por parte do poeta, foram acrescentados respectivamente os poemas ‘Corpo quedo na distância’ e ‘Mãe, queres ainda dançar comigo no palco?’

Com “Levedura”, João Rasteiro alicerça na casa, no corpo e no silêncio a fonte porventura mais fecunda da sua poesia.

Como se lê aliás neste livro:

“A casa é só corpo e silêncio levedado,

se não estiver aqui, não me busques noutro lugar,

o corpo é o que se oferece à casa nos alicerces.”

Avaliações

Não existem opiniões ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Levedura”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.